4 motivos para NÃO fazer aulas particulares de inglês (e 1 para fazer)

Atualizado: 26 de Jun de 2019

Todos sabemos o porquê de fazermos aulas particulares, mas quais os contras nesse caso? Vamos ver o que levar em consideração quando se planejar para aprender ou aprimorar um segundo idioma.



Inconstância (disfarçada de "flexibilidade")


Não há nada mais danoso no caminho à fluência do que a inconstância: ela nos tira da disciplina de uma boa rotina de estudos, de treinarmos nossa memória e nosso reflexo muscular com a periodicidade necessária. Desmarcar sua aula por 3 semanas seguidas e fazer disso um hábito não é flexibilidade, é irresponsabilidade. Quando existem mais pessoas na sua turma, a sua responsabilidade é também manter o ritmo junto a elas, forçando com que você priorize vir às aulas.


Seguir o seu ritmo


Acompanhar o ritmo do aluno pode ser tricky. O que mais vemos acontecer: O professor prepara uma aula baseado no que o aluno deveria estudar em casa ou já saber (se já foi ensinado). E aí, para surpresa do professor, o aluno não fez o que deveria fazer. O professor então, re-ensina o mesmo assunto. Se o objetivo do aluno é ter uma aula eficiente, então um ritmo mais acelerado que não dependa só desse único aluno é necessário.

Não se expor a outras áreas do conhecimento


Outra situação muito comum é o aluno cair no plateau por não ter como comparar seu desempenho e nem estar exposto a outras áreas do conhecimento, e então não conseguir sair do mesmo nível de fluência por muito tempo. Como vamos aprender a falar sobre nossa agroindústria se na aula falamos apenas da área automobilística? Como conseguimos descrever um acidente de carro, ou um assalto - para dar exemplos simples e corriqueiros - se nunca passamos por isso? É humanamente impossível o professor ter conhecimento em todas as áreas para poder falar com propriedade. Nessas situações fica muito claro que estar exposto a experiências de terceiros é importantíssima para aquisição do idioma.


A Grande Vilã: A Zona de Conforto


Conversar com apenas o professor, principalmente depois de criados laços de amizade, é algo fácil e que não impõe desafios no tocante a sairmos da zona de conforto. Ora, uma entrevista de emprego com 3 entrevistadores está longe de ser confortável. Passar pela imigração americana depois de um voo de 12 horas também. Se formos analisar pelo lado pedagógico, achamos mais problemas ainda - como treinar a conversação se conversamos apenas com uma pessoa, cujo ofício é ser paciente e didática? Como treinar travas de conversação se não sou exposto a situações que pouco a pouco me tiram dessa zona de conforto? Por isso um grupo é tão importante, são outras pessoas que vão exigir mais de você que já é avançado - como explicações mais detalhadas, por exemplo - e para quem é iniciante, mais situações de conversas serão criadas para que você possa acertar as frases.


(...) como treinar a conversação se conversamos apenas com uma pessoa, cujo ofício é ser paciente e didática?


De qualquer forma, não posso terminar esse artigo sem comentar do grande porquê de fazer aulas particulares:

Imagine a situação: você já consegue se virar no inglês, mas ainda não sente que se comunica com tranquilidade. De repente, você recebe um convite para apresentar seu trabalho para uma plateia internacional. Num caso como esse, é altamente recomendável que você faça aulas particulares! Aqui o seu professor vai poder te preparar para esse desafio com muito mais foco no que você precisa. Então se você tem um objetivo específico, procure um professor qualificado, e boas aulas!


Pra concluir (o famoso tl;dr): se o seu objetivo é conversar, você precisa estar inserido num ambiente propício a isso. Turmas reduzidas, alunos que tenham o mesmo nível de inglês, perfil e com objetivos parecidos com os seus, tudo isso é importante para que se crie um senso de responsabilidade e comunidade que vão exigir melhoras na sua fluência. Mas se você tem um objetivo muito específico com o inglês, procure sim fazer aulas particulares para que o professor trabalhe esse objetivo num estilo workshop.


Hey, e lembre-se: este é um artigo baseado na experiência de professora e coordenadora que tenho, no que vi funcionar e ser eficiente com meus alunos ao longo desses anos todos. Se você vê sua fluência melhorar e seus objetivos serem conquistados, não sinta que você deve abandonar esse sucesso pelo que funciona para a maioria. Se tem dado resultados para você, continue sem medo!

Copyright Blue Pine 2014 - 2020. Politica de Privacidade

contato@bluepine.com.br  | 19 98431 2180 |
iconfinder_linkedin_circle_color_107178.
iconfinder_social-16_1591848.png