Qual das opções é melhor: estudar inglês no Brasil ou aprender inglês em intercâmbio?

Aprender uma língua estrangeira é um dos desafios que a maioria das pessoas enfrenta, mas o que vale a pena: aprender inglês no Brasil ou estudar inglês em intercâmbio? Qual das opções é melhor? Descubra com a postagem

Para a grande maioria dos brasileiros, a forma mais comum de aprender inglês é estudando no próprio país. No Brasil, os alunos aprendem inglês na escola desde o ensino fundamental. Além disso, muitos alunos optam por estudar o assunto durante o ensino médio. No entanto, após o ensino médio, não há mais nenhum treinamento formal de inglês disponível para alunos que desejam aprender mais e começar a falar e escrever em inglês.

Então, alguns brasileiros que querem levar seu inglês para o próximo nível vão para o exterior, enquanto outros priorizam suas vidas aqui antes de investirem numa viagem de intercâmbio.

Você tem a oportunidade de ir estudar inglês no exterior? Está planejando fazer um intercâmbio? Mudar para outro país e morar lá por um tempo? É sobre as diferenças entre os dois planos que quero falar hoje.



Estudar no exterior - Quando NÃO é um bom investimento?


É muito comum conversar com ex-alunos de intercâmbio e ouvir que a experiência não foi o que eles esperavam. Muitas vezes também ao fazer um teste de nivelamento simples de conversação eu me deparo com alunos que moraram fora mas que ainda estão no nível Elementary A2 (uma espécie de “básico 2”, o segundo dos seis níveis do CEFR)

Então o que acontece nesses casos?

O aluno vai para o intercâmbio sem saber o básico do inglês

Isso acaba virando um problema porque o estudante - e aqui não importa a idade - vai focar mais no que chamamos de “inglês de sobrevivência” do que no inglês para proficiência. Ele vai precisar gastar tempo e energia aprendendo como falar coisas simples do dia a dia e que nem sempre serão usadas para o objetivo final com o inglês - como passar numa entrevista de emprego, participar de reuniões e conversas informais, conhecer pessoas e debater opiniões, etc.

Conclusão: vá para o intercâmbio apenas quando tiver o básico bem desenvolvido. Alguns assuntos para dominar antes de viajar:


  • Comunicação no aeroporto

  • Perguntas de imigração

  • Transporte público

  • Mercado e compras

  • Restaurantes

  • Rotina da hospedagem

  • Problemas básicos de viagens (extravio de mala, perda de voo, etc)

  • Emergências médicas (dentista, alergias, etc)


A Blue Pine Inglês tem um curso preparatório de intercâmbio e conta com professores que já viveram essa experiência para te ajudar



O aluno socializa apenas com brasileiros


Um clássico dos problemas do intercâmbio. Não é segredo que isso é uma receita para usar o português em qualquer situação que você “esquecer a palavra” ou de “não saber explicar” algo.


Conclusão: NÃO ande com falantes de português, mesmo se vocês falarem apenas inglês. O português precisa deixar de ser uma “muleta” no caso de dúvida. Desenvolva a habilidade de parafrasear quando não souber um termo, expressão ou frase em inglês.


Outra opção é escolher lugares com menos brasileiros para estudar - cidades menores e mais no interior costumam ter uma porcentagem menor de estrangeiros. Mas não se engane, essa situação é muito comum e você vai precisar manter a disciplina!




E sobre aprender inglês no Brasil, é possível chegar na fluência estudando aqui?


Vejo muitas pessoas falando que “só se aprende inglês fora do Brasil”. Minha resposta para isso é que eu sou prova viva que é possível chegar na proficiência de inglês morando no Brasil. Eu aprendi muito antes de conseguir passar na minha primeira entrevista de emprego em inglês e fui contratada para trabalhar fora do Brasil já fluente.


Mas o que é necessário para que isso aconteça?


Disciplina e resiliência


Disciplina e resiliência são necessárias em qualquer intercâmbio também. A diferença é que fora do Brasil, e depois de um investimento financeiro muito alto, o aluno tenta de tudo antes de desistir. Já aqui, qualquer imprevisto é uma desculpa de que “aprender inglês no Brasil não é possível”.


A sua resiliência e disciplina podem ser adquiridas pelo valor de um intercâmbio, ou você consegue manter o foco por conta própria?


Ter bons professores


Um bom professor de inglês precisa ser professor, em primeiro lugar. Fluentes que ensinam, mas não são professores, não estudam metodologias de ensino, teorias linguísticas e não sabem aplicar isso em sala de aula. E um bom professor vai além, ele sabe guiar o aluno para deixar a aula muito mais eficaz e ir direto ao ponto, trabalhando o necessário.


Bons professores têm certificações de ensino e resultados comprovados


Aqui na Blue Pine Inglês, todos os professores são certificados e se mantêm atualizados em tecnologias de ensino. Essas são algumas certificações da equipe:


• TESOL / Teaching English as a Second Language (Arizona State University);

• Online / Distance Learning (Google for Education).

• Certified Educator (Google for Education)

• Business English Communication Skills (University of Washington);

• English for the Workplace (British Council);


Na Blue Pine Inglês, nossos alunos chegam na fluência estudando de qualquer lugar do mundo. Conheça nossos casos de sucesso e veja os depoimentos aqui



Aprenda inglês de verdade, direto ao ponto. Converse com a gente.

contato@bluepine.com.br

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo